segunda-feira, 7 de julho de 2008

O VÔO


como um suicída abro a janela da paixão

e me atiro sem medo, sem resseio

sem nem se quer olhar pro chão

pois se neste maravilhoso vôo morrer

podem dizer que foi do coração

3 comentários:

Lininha* disse...

Ahhhh... vivamos de grandes saltos!

Zandali disse...

mara... to com saudades, mulher!
mande notícias ao menos! rs...
beijão e belos saltos!

Zandali disse...

kd tu?! desapareceu de novo!!!
beijocas